Gnose

Gnosticismo

gnosis

cursos

medicina oculta

Samael Aun Weor

Karma Yoga

Viagem Astral

Conduta Reta

Igreja Gnóstica do Brasil
Academia Brasileria de Gnose
Olá Visitante! Clique para acessar 19/04/2014 - Sábado, dia regido por Saturno - Orifiel | Ano 53 da Era de Aquário

O Novo Êxodo


Autor: KARL BUNN *


 

O tema para hoje denominamos de O Novo Êxodo.

Este é um tema muito abrangente... Nosso objetivo hoje é focar mais os aspectos preparatórios para participar do novo êxodo. Estamos vivendo os tempos finais exatamente como se fez nos tempos finais da Atlântida. Naquela época, havia os patriarcas, os líderes das comunidades que exortavam as pessoas sobre as dificuldades que se avizinhavam.

O aviso e o convite foram feitos para o maior número possível de pessoas. Em verdade, naquele tempo, como agora, poucos tinham ouvidos abertos, poucos tinham ouvido de ouvir. Estamos aqui falando deste tema desde o começo do ano, e muitas pessoas, que inclusive estão em nosso circuito, ouvem, porém, acreditamos que não tomam a sério porque seguem vivendo como sempre viveram; não mudaram nada, não tomaram nenhuma providência, seguem vivendo como sempre viveram até hoje...

Então, esta noite, quando nos propomos a tecer alguns comentários sobre o novo êxodo que se avizinha, que se aproxima, temos que abordar as questões preparatórias. Já falamos neste canal sobre providências pessoais ou individuais, que cada interessado deve colocar em prática. Porém, queremos tratar hoje de alguns outros detalhes, além daqueles que sistematicamente tratamos ao longo deste ano.

Há muitas fantasias correndo por aí, dentro e fora da gnose... As pessoas são muito dadas às leituras, achando que toda informação é confiável. Se prosseguirem com essa práxis, quando chegar a hora final, notarão tardiamente que perderam seu tempo. Dentre tantas fantasias que correm soltas pela internet, temos essa de que milhares ou milhões de naves espaciais virão nos resgatar quando chegar a hora para seguirmos vivendo exatamente como vivemos até hoje só que num outro lugar... Isso é absurdo, meus amigos. Não levaremos nossos vícios, nosso sistema econômico e político, nossa exploração da miséria humana, das enfermidades, das classes exploradoras e exploradas para nenhum outro lugar.

O universo não está organizado dessa maneira; tudo isto aqui vai ser destruído; todos os amantes, fascinados e adeptos desses sistemas praticados aqui, neste planeta, perecerão com ele quando a hora chegar...

Quando falamos em preparação para o novo êxodo significa que internamente temos que criar uma atitude adequada para isso. A atitude é o desapego... Desde agora mesmo tratar de desapegarmos-nos das coisas que consideramos valiosas e importantes. Temos que aliviar nossa carga se queremos nos lançar numa jornada, que é o êxodo, que é a saída deste mundo e a entrada num outro mundo ou numa outra região.

Há um milhão de anos, quando houve o êxodo que alegoricamente a bíblia descreve como sendo o de Noé que construiu uma arca, simbolicamente podemos dizer que esta arca também foi construída agora... Não está aqui no mundo físico, como também não estava no mundo físico na época de Noé, e nunca estará aqui no mundo físico, porque nunca se tratou de construir um navio enorme capaz de comportar um casal de cada espécie animal...

Mas, no entanto, acreditamos nisso, literalmente. Milhões de pessoas acreditam nessa historia infantil de que efetivamente houve um dilúvio universal e alguém construiu uma arca e nesta arca foram Noé, sua família e mais um casal de cada espécie... Impossível! Então, quando se fala em arca, se fala em alianças, em construções cósmicas; isso não se torna visível da noite ao dia aqui em nosso mundo.

Mencionamos em outras ocasiões que a nova era de ouro começará a ser levantada ou construída, aqui neste mundo, por volta do ano 2450, se é que esta contagem de tempo prosseguirá após a catástrofe; caso prossiga, será o equivalente ao nosso ano 2450...

Portanto, a preparação par este êxodo é interno, e começa agora; em verdade já deveria ter começado no início deste ano de forma intensa, profunda, porém sabemos que muitos ainda estão conduzindo sua vida como sempre fizeram até ontem, até este momento. Quando as portas se fecharem, não haverá mais como entrar, ninguém irá atender...

Se de fato estamos interessados em fazer algo a nosso favor, temos que efetivamente sair do discurso e entrar na disciplina espiritual, esotérica; tratar de negociar as dívidas que temos com a lei divina e tratar de despertar o fogo interior; despertar o fogo interior não é uma questão pessoal, no sentido de que somos nós quem decidimos. Existe uma ordem; o fogo interno é ativado pelos Mestres da Loja Branca devidamente autorizados pela lei divina.

Portanto, todo interessado em resgatar sua alma e participar do novo êxodo, deve negociar seu passivo com a lei divina, com o Senhor Anúbis; repetimos muitas vezes este ano que é óbvio que seu fogo interior não será ativado pelos Mestres da Loja Branca, assim sem mais nem menos... É preciso que a lei divina dê a permissão para isso. Nada acontece no universo sem permissão da lei divina. Nada é feito à revelia da lei porque se o fosse teríamos o caos, a destruição; deixaríamos de ter a harmonia universal e teríamos o caos universal, tal qual ou pior do que esse que se vê aqui neste país, onde nascemos...

Este é o país onde se paga karma político; nascemos aqui porque em outras vidas abusamos dos poderes que nos foram confiados. Quando falo em poder, falo em poder econômico, político, judiciário, de abuso de autoridade que tenhamos cometido antes, e assim por diante... Nascemos num país como este aqui porque esta região é onde pagamos dívidas com abusos de qualquer tipo de poder que tivemos no passado...

Por isso, hoje somos explorados devido às péssimas decisões políticas aqui tomadas, devido a um judiciário ineficiente, devido a uma população passiva que ultrapassa os limites do bom senso. Enfim, este é o nosso país; estamos aqui por uma razão...

Portanto, se na nova era almejamos e sonhamos com ordem, harmonia, paz, prosperidade, benefícios sociais, convivência numa sociedade que efetivamente contemple todas as necessidades do indivíduo e atenda com justiça aquilo que uma sociedade espera de um governo, isso será dado. Mas é evidente que será dado a quem não deve karma... Então, voltamos ao ponto inicial: para participar do novo êxodo precisamos despertar o fogo interior; o fogo interior, por sua vez, só é despertado pelos Mestres da Loja Branca sob autorização da lei. A lei não autoriza nada se há dívidas e pendências. Por isso, desde o início do ano, temos insistido sobre a necessidade de negociar nossas dívidas com a lei divina...

Esta condição, abertura ou possibilidade permanecerá até o final deste ano de 2007. No dia 27 de dezembro deste ano 2007 as portas do tribunal da lei se fecharão. Se até agora nada fizemos ou sequer acordamos para a gravidade do momento, da situação que vivemos, não é preciso fazer uso da inteligência e do discernimento para antever o desfecho de tudo isso...

Nesse novo êxodo cada um decide aquilo que quer para si; se quiser voltar ou estar aqui na nova era de ouro tem que cuidar da sua formação, do seu despertar aqui e agora. Ninguém, com o fogo adormecido, será resgatado. Sempre voltamos à questão fundamental: o fogo não será despertado por intervenção direta dos Mestres da Loja Branca se a lei divina não permitir.

Então, o primeiro passo é negociar nossas pendências com a lei divina. Muitas pessoas escrevem até hoje perguntando como negociar com a lei divina. Temos em nosso site um texto sobre isso; mas, aqui e agora, neste momento, colocando nas palavras ou expressões mais simples possíveis, quando formos negociar com a lei divina, devemos ser bastante simples, sinceros, pragmáticos até... Porque nosso objetivo diante do tribunal da lei, junto ao Senhor Anúbis, nada mais é do que propor: “Senhor, eu preciso disso; em troca te dou aquilo”. Ou então: “Senhor, eu preciso daquilo, em troca te ofereço isso.”.

E o que vai oferecer? O tribunal da lei não está interessado em doações materiais ou coisas que não sejam da alma, do espírito, que não estejam atreladas à morte dos próprios defeitos, da purificação interior...

A única coisa que a lei divina espera de nós é que trabalhemos sobre nós mesmos, que tratemos de fazer nossa parte na eliminação de nossos defeitos, que mudemos de conduta, de vida, que passemos a vibrar numa outra oitava espiritual.

As palavras que devemos dirigir ao Senhor Anúbis são palavras simples, que brotem de nós mesmos dentro da simplicidade, da espontaneidade; não precisamos ficar preocupados com fórmulas, protocolos...

O Mestre Samael sempre dizia: “Queres negociar com a lei”? É simples: concentra-te no Senhor Anúbis, mantralize o seu nome por dezenas ou centenas de vezes; depois, simplesmente, diga: “Senhor, preciso daquilo; em troca te dou isso”.

Se a petição for justa te será concedida. Cada um de nós pode pedir diretamente, algo assim: “Senhor, preciso o despertar do fogo interior; em troca, estou disposto, a partir deste momento, a fazer isso, isso, aquilo, mais aquilo e aquele outro, todos os dias, o resto dos meus dias”... É simples assim...

Por outro lado, temos que avisar e alertar: algumas pessoas andaram fazendo negociações com a lei divina, e passados tão só alguns dias ou poucas semanas, caíram na preguiça de novo; deixaram de cumprir com seu compromisso. Meus amigos, isso é gravíssimo! Se hoje a nossa situação já é péssima, terrível, negativa, imagina, então, fazer uma negociação e não honrar aquilo que foi comprometido?! Melhor não fazer negociação nenhuma... Porque só vai agravar e complicar mais ainda a sua situação diante da Lei. Temos que fazer esse trabalho de maneira consciente e responsável; nem toda a humanidade irá participar do novo êxodo... Na verdade, uma ínfima minoria fará parte do novo êxodo... Então, meus amigos, as estatísticas são dolorosas. A incapacidade humana de fazer trabalho sério sobre si é gigantesca. O que vamos fazer?

Não se pode fazer nada, não se pode obrigar ninguém a nada. O que podemos fazer é avisar, comunicar da gravidade do momento, motivar para realizar um trabalho e seguir vivendo. Uma noite destas tantas foi dito, por alguém que acompanha todo este trabalho: “Nós aqui não devíamos alimentar o medo, temores, mas sim, pedir proteção aos Deuses, fazer a parte que nos cabe e confiar; simplesmente confiar que as coisas serão dadas”.

Sabemos que tudo é dado segundo o mérito de cada um, o peso do coração. Nesse caso, o coração não deve ter peso, ou deve ter o mínimo de peso, porque o Senhor Anúbis faz seu julgamento segundo lhe mostra a balança, o quanto nosso coração pesa. Quanto mais leve nosso coração, menos dívidas e pendências temos com a lei divina, mais pureza temos dentro de nós.

Estas são as moedas, esses são os motivos, as características, as descrições, a foto objetiva da nossa realidade e de nosso estado interior. Aquele deveras interessado em participar, fazer parte desse novo êxodo, não importa em que escola esteja, nem que religião pratica ou tem. O que vai mandar mesmo é o peso do coração...

Nosso coração fica leve à medida que mudamos nossa conduta e passamos a viver a conduta reta, que passamos realmente a viver segundo os ditames do bom dono de casa, da boa dona de casa, quando passamos a viver fazendo as práticas diárias. Não precisamos fazer 500 horas de práticas todos os dias... Façamos uma hora, duas horas de práticas passivas, e algo já será feito, e algo já teremos a nosso favor...

Tratemos de viver retamente durante as horas de vigília, durante as horas normais do dia, enquanto dirigimos no trânsito ou trabalhamos na empresa ou repartição pública, enfim, onde temos o nosso ganha pão... Tratemos de não alimentar pensamentos e fantasias, nem nosso lado tenebroso; tratemos de estar atentos a nós mesmos, tal qual abordamos ou explicamos ao longo dos encontros anteriores...

Hoje, estamos enfatizando aqui a idéia, para aqueles que quiserem participar do novo êxodo, que precisam sacrificar seus vícios, renunciar a esses prazeres e a essas gratificações sensoriais de todos os tipos. Acabar com essa neurose, por exemplo, que tomou conta da Gnose, de sair por aí desesperadamente, alucinadamente, buscando uma mulher ou um homem com que se possa praticar magia sexual, acreditando assim que, dessa forma alucinada, vão despertar fogo interior... É exatamente o contrário... Não irão despertar nada e afundarão mais rapidamente, porque primeiro há que se entender o que é isso, há que se entender o que é esperado de nós... É preciso acertar-se primeiro com a lei divina...

Se a lei divina ou nossa Divina Mãe Kundalini nos der uma parceira ou um parceiro, aceitemos. Mas, de que vale ter um parceiro ideal se nossa conduta sexual é não reta justamente no momento da intimidade, quando somos tragados pelo fogo da luxúria ou das paixões? Por isso dizíamos que ao invés de despertar o fogo nos afundaríamos mais rapidamente...

Se queremos efetivamente participar do novo êxodo temos que cuidar das mazelas que carregamos dentro de nós. Isso não depende de ter alguém do nosso lado... Repito: é preciso acabar ou eliminar essa neurose, essa alucinação que tem tomado conta de todos os ambientes gnósticos, onde se fala e se enfatiza desesperadamente este tema de forma irresponsável, como se fosse condenado ao inferno aquele que não tem alguém para fazer a prática maior da Gnose...

Neste momento, temos mais é que nos prepararmos psicologicamente, emotivamente, sentimentalmente para um novo êxodo... Ninguém se prepara em uma semana... Se nós, neste dia de hoje, nesta noite, não passamos pela compreensão da necessidade de deixar de ser o que fomos até o presente momento, de mudar nossa conduta atual, não estaremos no novo êxodo, não entraremos na nova Jerusalém...

Sacrificar vícios, prazeres, gratificações sensoriais é o mínimo, é o começo do trabalho. Nosso Satan interior se fortalece e se alimenta pelas pequenas gratificações, pelas balinhas, tortas e tortinhas que lhe oferecemos durante o dia, em forma de sorvetinhos de luxúria, docinhos de fantasias luxuriosas, chicletinhos de olhares cúpidos em direção ao sexo oposto, etc.

Enfim, temos que mudar nossa forma de pensar, limpar nossa mente de toda essa malícia e também destas maldades que permitimos viver dentro de nós, maldades sutis, abusos do verbo, palavras felinas, mas, principalmente, é a malícia que fortalece o nosso Satan interior.

O nosso Satan interior quer prazeres, esse Satan interior, que personifica a totalidade de nossos egos, usa nosso corpo, manipula nosso corpo e nossos sentidos para se fortalecer, se gratificar e se alimentar. O Satan interior nos usa como nós usamos a televisão...

Por que ficamos assistindo novelas ou ligamos a televisão? Qual é o propósito oculto? O que aprendemos com isso? O que acrescenta em nossa vida espiritual?

Temos que aprender a selecionar as impressões; não estamos falando aqui que alguém não possa ver um filme, documentário ou algo baseado em fatos concretos. Estamos falando aqui das fantasias que se produzem hoje em dia, das distorções de valores com que a sociedade é alimentada... Que paga bem caro por isso, sem saber.

Mudar a conduta - esse é o primeiro passo para termos força moral na hora de negociar nosso karma... Quando nos apresentamos diante da lei divina, eles vão esperar uma proposta no sentido de renunciar ao que fomos até hoje, de mudar nossa conduta, nossa forma de pensar a partir de agora; em troca, eles darão ou autorizarão o despertar do fogo interior e a morte de muitos defeitos...

Sem isso, sem negociar com a lei, volto a repetir e a insistir, mesmo que digam por aí, em outros centros ou escolas, que estamos falando bobagem; mas insisto e repito porque nos consta isso: O fogo interior só é despertado segundo o mérito do coração - assim dizia o Mestre Samael também. Mas, agora, ensinam por aí que se ficarem conectados ou plugados uma hora todos os dias, irão despertar o fogo e se auto-realizarem...

Irão, sim, despertar o lado tenebroso que todo mundo leva dentro de si, irão fortalecer esse lado. Desse jeito, dessa forma que por aí ensinam, jamais irão despertar luz alguma, fogo algum, porque o despertar deste fogo sagrado se dá segundo os méritos do coração, e mérito do coração é coração leve, isento de mácula, de gratificações sensoriais...

Isso já ensinava o Senhor Buddha, e sobre essa tecla o Mestre Samael bateu do primeiro ao último livro, e também, basicamente, todos os profetas disseram a mesma coisa... E mesmo assim, ainda ficamos vacilantes, em dúvida? Pensamos: “Será que ele quis dizer isso mesmo? Será que ele disse para eu sacrificar os meus prazeres, é isso mesmo que ele disse?” E ficamos duvidando com essas perguntas...

Meus amigos, se ainda temos essa classe de dúvidas, estamos mal e indo cada vez pior. Por isso, é urgente cair em si mesmo, dar-se conta desse estado e começar a mudar.

Temos dito que 2012 é a referência máxima para a grande transformação desse planeta... Temos falado de uma maneira um pouco mais leve, sutil, porque há muitas coisas que se precipitarão já em 2010 [ou até mesmo antes...]. Então, em termos práticos, temos pouco tempo pela frente; temos que aproveitar esse tempo para trabalhar de maneira intensa sobre nós. Lembrem-se: não vamos confundir trabalhar de forma intensa com trabalhar de forma estressada. Não estamos aqui falando de estresse; estamos falando de intensidade, de profundidade, de seriedade, de responsabilidade, de comprometimento.

Em nenhum momento falamos aqui de desespero, nem de estresse; salientamos sim a gravidade do momento e de que efetivamente os tempos estão em cima - isso é uma verdade e não podemos esconder isso, quer acreditem ou não.

Então, todos os dias devemos fazer essa análise retrospectiva, entrar em contato conosco, orar à nossa Mãe Divina, pedir luz, inspiração, compreensão... Sem isso não conseguimos avançar, meus amigos...

Tornamos a insistir: o fogo interior é básico, fundamental, para entrar nas ilhas para onde irão os que fazem parte do novo êxodo. Este fogo precisa estar desperto e ativo. Nem falamos aqui de ter sete, cinco ou três kundalinis levantados... Claro que seria ótimo se tivéssemos o fogo levantado não só no corpo físico, mas também no corpo etéreo e astral...

Porém, pelo menos o fogo precisa estar desperto, ativo, e as condições para despertá-lo já foram repetidas várias vezes aqui. Quem desperta esse fogo são os Buddhas, os Mestres; eles trabalham, têm a missão esta de despertar essa chama sagrada nos irmãozinhos humanos. Isso é o trabalho deles. Mas estão sujeitos à lei, como todos nós estamos sujeitos à lei divina. Então, não há despertar de fogo kundalini, de fogo interior, de chama sagrada sem permissão da lei. Entender isso é muito importante...

Os méritos vamos formando aos poucos; devemos trabalhar diariamente uma ou duas horas por dia. Viver a conduta reta, suplicar, pedir proteção a Mãe Divina, aos próprios Deuses. Mas, para sermos ouvidos, é evidente que temos que estar fazendo a nossa prática, porque se nada fazemos, por que iriam prestar atenção em nós?

Lembro também de uma frase do Mestre Samael que diz o seguinte: “Quem nada pede, nada precisa!”. Se alguém não pede para despertar o fogo interior é porque não quer que o fogo seja despertado. Se alguém não quer eliminar defeitos, não pede a Mãe Divina que o defeito seja eliminado.

Muitas vezes, quando a Mãe Divina intervém na eliminação de um defeito grave e sério, ela diz ou comenta ao seu filho ou filha: “Filho (a), por que não me chamou antes? Eu já teria eliminado isso de você se tivesse me chamado antes!”.

Claro que para ouvir uma expressão como essa, temos que ter méritos no coração; do contrário não saberemos dessas coisas...

É por isso que todo trabalho gnóstico se sintetiza em algumas poucas atividades, que são atividades dinâmicas; ninguém precisa fugir para a caverna ou vender seus patrimônios, seus bens. A única coisa que precisa fazer é renunciar a eles, não se apegar a eles, porque tudo isso tem peso no coração, e um coração pesado é um obstáculo terrível para o despertar, não só da consciência, mas também do fogo interior...

Desapegar-se das coisas terrenas, das coisas que a vida nos empresta ou nos emprestou, desapegarmos-nos de nossas crenças - porque até hoje continuamos apegados, amarrados, crucificados naquelas primeiras idéias que passou nosso pai, nossa mãe, professora. Talvez ainda estejamos aferrados à letra morta de livro, seja da Gnose ou fora da Gnose, simplesmente porque gostamos muito de fulano de tal. “Ah! Eu gosto muito do Mestre tal ou do escritor tal!”.

Pode gostar e até pode ler se é tão importante assim para sua personalidade, porém nada disso irá fazer aumentar os méritos do coração e nem por isso irá despertar o seu fogo interior, porque esses méritos se dão em função da conduta reta, do reto viver, pensar, sentir, relacionar-se.

Quando aqui falamos em reto viver, em reto relacionar-se, sentir isso não tem nada a ver com esses maneirismos de conduta social. Conduta reta não tem nada a ver com um manual de etiqueta social; conduta reta é expressar e viver de acordo com o “manual de conduta de nosso Pai”.

Os que são do mundo não entendem o significado de “expressarmos a vontade do Pai”. Mas, e daí? Qual é o problema se nos criticam, se não nos entendem, se nos atacam, caluniam, desprezam?

Afinal, aqueles que querem ser instrutores da humanidade ou querem ingressar no mundo dos Deuses, precisam ficar independentes desta conduta gregária humana; devem tornar-se livres das etiquetas sociais; nem por isso vamos sair por aí agredindo as pessoas com uma conduta grotesca, como se morássemos nas cavernas dos primórdios tempos dos trogloditas... Não é disso que estamos falando... Estamos falando de sermos naturais, simples, espontâneos, e acima de tudo, de cumprir com o dever sagrado.

O dever sagrado consiste em fazer unicamente a vontade de nosso Pai; daí que o Mestre Samael ensina no seu livro “Psicologia Revolucionária” sobre o bom dono de casa. O trabalho gnóstico começa vivendo-se o aqui e agora de acordo com o que é esperado de um bom dono de casa. O bom de casa é aquele que provê as necessidades, cumpre os deveres para com sua família, para com a sociedade. Esses deveres são: trabalhar, ou seja, não ser parasita de ninguém; não viver de falcatruas, de enganos e golpes; envolve uma reta maneira de ganhar a vida, etc.

Conduta reta é ser reto internamente e externamente segundo os preceitos divinos e sagrados. Esses preceitos nós encontramos em todos os livros sagrados de todos os tempos. Que ninguém se faça de desentendido dizendo ou alegando que não conhece... E se não conhece, é porque eventualmente tenha preferido conhecer a literatura policial, as novelas de sucesso ou os best sellers que são escritos para ganhar dinheiro.

Se alguém prefere ler romances e novelas, é direito seu, é decisão ou escolha pessoal; nada temos com isso. Agora, alegar que não conhece as normas divinas, isso é confissão pública de que jamais se interessou pelas mensagens que foram dadas deste o Alto pelos avatares, Buddhas, profetas e enviados especiais. Sinal que preferiu alimentar-se com essa pseudo-literatura do esoterismo POP mundial, escrito por tulpas, egrégoras, cascões, mediunidade e por tantas outras coisas... Sinal que jamais se interessou pelos ensinamentos dos avatares, enviados, Buddha ou Cristos, por exemplo, só para limitarmos por uns quantos.

Em tudo isso, vejam quantas sutilezas, quantos detalhes que surgem diante de nossa vida para nos desviar do caminho, da meta, do objetivo. É preciso ter muito claro aquilo que queremos... Se resgatar nossa alma é o que queremos, o resto deve ser sacrificado, renunciado, posto em plano secundário, terciário, ou quaternário. Se for da salvação da alma que se trata, essa é a prioridade máxima nossa, a razão fundamental de vivermos esses últimos dias que temos pela frente... Talvez alcancemos uns 1000 ou 1200 dias - e é tudo que temos pela frente; não nos enganemos, não fantasiemos mais...

Ate aqui nossas palavras iniciais desta noite; ficamos agora à disposição para eventuais esclarecimentos que queiram colocar aqui. Muito obrigado!

 

Perguntas

 

P: Seria possível descrever como será o êxodo como acontecimento em si?

R: É uma boa pergunta... O êxodo em si, como mencionamos aqui, há um milhão de anos, no tempo da Atlântida, e lá pelos começos da Era Ariana ou da Raça Ariana, foi feito a pé. Povos inteiros migraram e se movimentaram desde a região norte da atual Europa, caminhando durante meses e anos, até alcançarem as regiões em torno do Tibet, e ali, então, foram criando sua estrutura ou sua nova pátria... Isso não aconteceu em uma semana... Naquela época foi feito ao longo de dezenas de anos. Agora, hoje, nesse final de era Ariana, o êxodo em si é um êxodo puramente espiritual; por isso que já enfatizamos de começo hoje que não virão do espaço milhares de naves para resgatar o degenerado ser humano atual e levá-lo a lugares protegidos... Muito pelo contrário, aquele punhado de seletos, daqueles que escolheram purificar-se, esses serão sim levados fisicamente em algumas poucas naves dos irmãos do cosmo; serão levados para uma região, não importa qual delas, nesses momentos; várias são as regiões existentes na quarta dimensão, e cada um será distribuído segundo o grau de consciência que possui. Portanto, imaginar que milhões de pessoas serão transportados para algum paraíso? É muita fantasia nisso porque não é isso o que a humanidade quer. A humanidade está mais preocupada com seus negócios, em ganhar dinheiro e ter seus prazeres e gratificações satisfeitas, nada mais do que isso. Então, resumindo, o êxodo será mais espiritual, e é por isso que enfatizamos aqui a questão do fogo, porque isso é o que realmente importa. Sem o fogo somos mortos vivos, e a humanidade atual é feita de pessoas assim. É um êxodo espiritual, cada qual escolhe. Alguns irão desencarnar normalmente e nascerão nessas ilhas, nesses paraísos moleculares; outros, talvez, sejam levados de corpo físico, mas não sabemos quantos, não sabemos de números nesse sentido, não sabemos se são milhões ou milhares, isso não se comenta...

 

P: Toda vez que peço iluminação, despertar do fogo me mandam provas!

R: Claro, se queremos algo, temos que provar ou demonstrar que estamos maduros para conviver com isso, para receber aquilo que estamos pedindo. Nenhum pai, educador, tutor, responsável dará a um filho pequeno uma arma carregada; é preciso ter discernimento para isso.

 

P: Depois das negociações ainda temos quedas ou fraquezas e se não desistirmos e seguirmos tentando levantar, como é visto essas quedas?

R: Meu amigo, a criança, quando começa a andar, tropeça, cai; alguém só vai ganhar medalha de ouro na olimpíada, nos cem metros rasos, se treinar muito. Então, como é que alguém, que está começando agora esses processos, será perfeito? Não há como, não é possível. Agora, aqueles que se propuserem realmente a viver de acordo com os ensinamentos da Gnose, se realmente, com seriedade, comprometimento, se dispuserem a isso, conseguirão. Quando os estudantes de Gnose perguntavam ao Mestre Samael sobre quedas e outras coisas mais, ele não dava bola nenhuma; ele simplesmente dizia “pratique e conseguirás”. É a mesma coisa. Agora, se alguém vai pedir o despertar do fogo ou a iluminação e toca sua vida sem seriedade, comprometimento, disciplina, não faz os esforços necessários para deixar de ser o que é, aí não tem negócio, é simples assim.

 

P: Haverá remanescentes encarnados então ou todos desencarnados?

R: Quando os tempos finais se precipitarem não deverá sobrar praticamente ninguém; se sobrar, no futuro serão como os índios de hoje, esses povos aborígines, os chamados povos nativos de cada região ou continente que foram descobertos nos últimos quinhentos anos, sobreviventes de catástrofes anteriores. Nessas catástrofes se perde toda a estrutura de uma sociedade e a involução se acelera de maneira tremenda. Em um ano, dois anos, você já se converte em homem das cavernas... Esses ossos, achados por aí, e que tanto encanta os antropólogos da ciência materialista, os quais afirmam ser os antepassados humanos, em certo sentido são, porém são seres involutivos e não os autênticos antecessores do ser humano na terra...

 

P: O exercito de salvação mundial!

R: O exército de salvação mundial, como alguém questiona aqui, para salvar, é preciso estar salvo primeiro, não te parece isso? Então, se nós, neste momento, estamos, somos e seguimos vivendo como condenados, não sei se temos méritos para fazer parte das equipes de resgate... Como salvar a outros se não conseguimos salvar a nós mesmos antes? Quando o Mestre Samael mencionou a formação do exército da salvação mundial ele queria realmente milhares ou milhões de pessoas com o fogo desperto e tudo que ele encontrou foi um exército de hanasmussen antes mesmo de desencarnar; imagina hoje, passados trinta anos do seu desencarne... Multiplicaram-se os hanasmussen pelo mundo justamente porque não entenderam a doutrina gnóstica; praticaram e ainda praticam a doutrina gnóstica de maneira equivocada...

 

P: Sobre o karma, por exemplo, se aqui no mundo físico não temos pendências judiciais, se tudo está em dia, não devemos nada para ninguém, se as coisas para nós não dão errado, ou seja, tudo para nós dá certo como acontece com algumas pessoas. Isso pode significar algo? Ou pode retratar nossas contas e pendências com o Senhor Anúbis?

R: É preciso examinar isso de muitas maneiras. Primeiro, uma dessas pessoas que recebe com facilidade certos confortos se deve ou por mérito, dharma de vida anterior ou porque realmente trabalhou ilicitamente. Mas o teu pressuposto é que a pessoa seja correta e em sendo correta tudo dá certo... Nesse caso é devido a méritos porque ninguém recebe nada gratuitamente... Os corruptos, corruptores, ladrões, usurpadores, esses podem enriquecer aqui, é verdade; esses podem enganar as leis humanas ou valer-se das leis humanas para fins ilícitos e com isso poderão enriquecer... Mas acompanhando, não estatisticamente claro, mas apenas por observação simples e direta, temos visto que esses acabam pagando o preço em forma de doenças na família, como câncer, infarto, medo, pânico. Isso já em nosso mundo... Então, meu amigo, não existe nenhum pensamento vão, nenhuma palavra inútil, não existe nenhum ato que não tenha conseqüências; por isso que ensinamos o cumprimento do dever sagrado, aquilo que o Mestre Samael dizia: “faça boas obras e terás com o que pagar tuas contas!”.

 

P: Dá para acender uma chispa de fogo mesmo sendo casado sem práticas alquímicas no momento? Mas esforçando-se no trabalho do primeiro e terceiro fator.

R: Meu amigo, isso nos remete ao que falamos nas duas conferências anteriores: Sexualidade gnóstica para solteiros e para casais; não vejo porque repetir isso agora. Ali foi detalhadamente explicado que o fogo desperta se e naqueles que têm seus corpos superiores construídos em vidas anteriores; hoje falamos novamente que o fogo desperta segundo os méritos do coração... Continua valendo aquilo que falamos na reunião anterior para os solteiros ou para aqueles impedidos, por qualquer motivo, de praticar alquimia...

Volto a repetir o que dissemos hoje: o fogo desperta segundo a autorização da lei divina; quem desperta o fogo e conduz o fogo desperto e aceso pela coluna vertebral de chakra em chakra são os Buddhas ou Mestres especialistas nesta ciência e arte. Nada é inconsciente no universo, a nossa humanidade sim parece ser uma exceção a esta regra...

 


O texto acima é cópia integral, (modificada a pontuação e feitas algumas alterações para dar o formato de texto), de uma conferência ditada por Karl Bunn, presidente da Igreja Gnóstica do Brasil – www.gnose.org.br – realizada ao vivo dia 18.09.2007, por intermédio do programa Paltalk, via Internet. Equipe: Transcrição de texto: Mariana Cunha. Revisado pelo autor.

Leia Também



ex: destinatario@mail.com.br

;