ABRAGNOSE - Academia Brasileira de Gnose

Os Dois Mercúrios

1. Em outro texto falamos sobre os elixires branco e vermelho em seus aspectos profundos.
2. Aqui, falaremos do Elixir Vermelho e do Elixir Branco, do Hermafrodita-Espírito, do Mestre de transmutações metálicas.

3. Lá estudamos como o Hermafrodita-Espírito transmuta o chumbo em ouro.

4. Agora vamos estudar os elixires branco e vermelho atuando como sol e lua.

5. Há dois mercúrios: o mercúrio masculino e o mercúrio feminino.

6. Eles são os elixires branco e vermelho.

7. São os pós de projeção com os quais transmutamos os nossos metais em ouro puro.

8. O Elixir Vermelho é o mercúrio masculino.

9. O Elixir Branco é o mercúrio feminino.

10. O mercúrio vulgar, mercúrio feminino, não suporta o fogo a não ser com a ajuda de outro mercúrio diferente, que seja totalmente quente, seco e bem mais digerível.

11. O mercúrio masculino torna-se fluido quando se mistura com o mercúrio feminino através da magia sexual.

12. Então os dois mercúrios unem-se de forma indissolúvel e inseparável, como quando a água se une com a água.

13. O mercúrio masculino tira do mercúrio feminino sua fleuma e sua frieza lunar, tornando-se primeiro negro, depois vermelho, a seguir branco e por fim de distintas cores.

14. Eis como a mulher transmuta seus metais em ouro puro mediante o contato sexual com o homem.

15. O mercúrio depois de suas constantes transformações tem o poder de mudar nossos metais em ouro puro.

16. Os elixires branco e vermelho são os dois mercúrios com os quais transmutamos todos os metais da nossa personalidade no ouro puro do Espírito.

17. O homem é o sol e a lua é a mulher.

18. Não trabalhemos com o sol nem com a lua senão depois de os havermos reduzido ao mercúrio da filosofia.

19. Saquemos o mercúrio do sol e da lua para trabalhar com essa matéria venerável na Grande Obra.

20. Reduzamos o sol e a lua à matéria-prima da Grande Obra para elaborar com ela o Rei coroado com o diadema vermelho.

21. Temos de unir o mercúrio masculino com o sol e o mercúrio feminino com a lua.

22. Porém isso só é possível reduzindo-se esses dois mercúrios a sol e lua.

23. Esta redução realiza-se na união amorosa do homem com a mulher.

24. Reduzido o homem a sol e a mulher a lua, decompomos os compostos a seus próprios elementos e é com esta matéria-prima que vamos fabricar o REI SOL, o HOMEM CELESTE, o Mestre da Fraternidade Branca, pleno de glória e poder.

25. Eis como nosso mercúrio se une com o sol e com a lua. Eis como o sol e a lua se reduzem ao sêmen, isto é, ao mercúrio filosófico.

26. O mercúrio só se une indissoluvelmente com outros corpos quando eles foram elevados a sua própria natureza.

27. Elevemos nosso mercúrio masculino ao estado solar e o mercúrio feminino ao estado lunar para que o sol e a lua se reduzam a mercúrio, unindo-se a ele de forma indissolúvel.

28. Se temos um anel de ouro e queremos convertê-lo em uma cruz, temos de fundir o ouro inevitavelmente, reduzindo-o a sua matéria-prima, ao mercúrio da filosofia, a fim de elaborar a cruz de ouro com essa matéria-prima.

29. Assim também o homem deve se reduzir ao sêmen que o gerou para elaborar com esse sêmen o Mestre de Mistérios Maiores da Fraternidade Branca Universal.

30. Qualquer outro caminho é absurdo.

31. Recordemos que a Bíblia começa com o Gênese ensinando-nos a alquimia sexual.

32. Recordemos que o primeiro milagre que Cristo fez o realizou nas bodas nupciais de Canaã.

33. O Mestre transmutou a água em vinho.

34. Também nós devemos transmutar as águas do nosso Caos sexual no vinho de luz do alquimista.

35. O primeiro ensinamento que Cristo nos deu foi de alquimia sexual.

36. Se lançamos uma olhada a tudo que foi criado, veremos que todos os seres foram gerados sexualmente.

37. Nós mesmos fomos gerados por um homem e por uma mulher.

38. Portanto, se queremos ser Mestres, devemos gerar o Mestre porque tudo o que existe no universo foi um dia engendrado.

39. O mercúrio masculino é ativo, seco e quente. Já o mercúrio feminino é úmido e passivo como a lua.

40. Porém com o fogo, os dois mercúrios unem-se de uma maneira indissolúvel.

41. A união dos dois mercúrios verifica-se através da união sexual.

42. Este é o segredo para se reduzir os dois metais a sua matéria-prima.

43. Quando os dois metais se unem de forma inseparável, adquirem o aspecto de um pó branco e geram sóis e mundos no infinito.

44. Fecundado o Caos, surge a vida interna em todo seu esplendor.

45. Com uma onça desse pó de projeção criaremos milhões de sóis e transmutaremos em lua todo tipo de metal saído de uma mesma mina.

46. Os pós de projeção são os elixires branco e vermelho.

47. O elixir vermelho é o mercúrio masculino e o elixir branco é o mercúrio feminino.

48. O elixir branco branqueia os metais, dando-lhes uma brancura imaculada.

49. O elixir vermelho transforma o chumbo em ouro e torna todas as coisas amarelas.

50. As asas de mercúrio nos elevam ao mundo dos Deuses.

51. Mercúrio é o mensageiro dos Deuses inefáveis.

52. O mercúrio da filosofia secreta converte-nos no Rei Coroado com o diadema vermelho.

53. O liame da cruz com o triângulo realiza-se com o mercúrio da filosofia secreta.

54. As asas de mercúrio nos convertem em onipotentes Deuses do universo.

 

Para um maior aprofundamento, recomendamos: Os Reis Magos da Alquimia


Autor: Aun Weor
Capítulo 23 do livro Alquimia Sexual

18 de outubro de 2013

ABRAGNOSE - Academia Brasileira de Gnose

Lançamento 1ª versão: 4 de fevereiro de 1997. Atualizações contínuas e permanentes. Copyright 2005-2014© Todos os direitos reservados. A responsabilidade deste site é da Igreja Gnóstica do Brasil - IGB