ABRAGNOSE - Academia Brasileira de Gnose

Trabalhar Dia e Noite Sem Parar Até o Fim

Olá, meus amigos, boa noite, Paz inverencial!

Qual é o propósito deste título?

Falamos muito, aqui, ao longo do ano, sobre negociações com a lei divina, sobre negociações para resgatar nossa alma. Avisamos que as portas do tribunal da lei se fechariam em dezembro – o que é verdade. E aí fica no ar um sentimento de que tudo acabou…

Não é bem assim – e esclarecemos… Para nos situarmos no tempo: Em agosto passado [2007] os caminhões do Senhor Hades correram mundo recolhendo todas as almas, incluindo a dos bodhisattvas. As almas dos bodhisattvas, dentro desses camburões do Senhor Hades, brilhavam em forma de pontinhos de luz – e ainda lhe foi perguntado a respeito disso: Senhor Hades, por que as almas dos bodhisattvas caídos, mesmo brilhando como um pontinho de luz, também estavam sendo recolhidas para os abismos?

Então o Senhor Hades nos informou que os bodhisattvas poderiam sair dos abismos se trabalhasse sobre si, se corressem atrás das negociações. Mas se nada fizessem, ficariam exatamente onde estavam…

Esses julgamentos foram feitos nos domínios do Senhor Hades, nos Campos Elíseos. Ali estão os juizes – e são esses juízes que determinam para qual zona ou círculo do inferno vai cada uma das almas. Portanto, meus amigos, em agosto passado, bilhões desceram aos abismos, e lá se encontram ainda.

Se isso é surpresa para vocês posso dizer que esse que vos fala também tinha partes suas lá embaixo e ao longo deste ano teve que correr atrás do prejuízo justamente para resgatar essas partes de consciência que lá em baixo estavam…

Então, não é surpresa e não deve, a princípio apavorar ninguém, especialmente os crentes gnósticos. Porque dentro da Gnose há muitas crenças, desinformação e péssima formação.

O Mestre Samael deu uma doutrina completa, mas poucos souberam entender, poucos estudaram o suficiente para terem compreensão [suficiente]. A maioria ouviu superficialmente, rapidamente, ou leu um livro como quem lê uma revista dessas no aeroporto ou numa rodoviária enquanto espera o ônibus chegar, e com isso acha que estudou e conhece a Gnose ou a doutrina do Mestre – e não é verdade.

Então, só para confirmar e repetir: em agosto aconteceu o recolhimento maciço da humanidade aos abismos. Todas as almas, de um modo geral, estão agora no Hades. Aqueles que já se deram conta disso, que correram atrás, que buscaram arrependimento, que de fato iniciaram um trabalho sério sobre si, estão subindo em direção ao limbo, e do limbo, como falamos em encontros anteriores, poderão sair com suas próprias pernas. Do limbo ganharão o direito a nascer aqui na idade de ouro se tratarem de se purificar enquanto ali estiverem…

Temos cerca de 400 ou 500 anos pela frente para fazer nossas purificações; porém se não fizermos como Pistis Sophia, que clamou à grande Luz para que a resgatasse do caos, do abismo, das trevas, da escuridão, das garras dos arcontes, nada vai acontecer…

Quem nada fizer, ficará nas esferas em que os arcontes, os juízes da lei destinaram. Oxalá consigam compreender ou perceber a realidade – e ao mesmo tempo a gravidade – do que estamos dizendo. Por isso, por trás dessa revelação, também está a chave da salvação ou do resgate.

Agora, aqueles que nada fizerem, aqueles que não correrem atrás, aqueles que não se dão conta disso, a esses, praticamente, não existe mais chance concreta de resgatarem sua alma; não estarão aqui na idade de ouro, e por conseguinte, poderão obter uma oportunidade na época de Capricórnio… Mas esta é uma época negra, então, na prática, será bem difícil resgatar a alma; na prática será bem difícil obter uma chance, uma oportunidade como essa que está sendo dada agora…

E é por isso então que dizemos nesta noite: “trabalhar dia e noite, sem parar, até o ultimo dos dias, até o fim” porque mesmo que estejamos carregados de karma, se quisermos efetivamente uma chance de resgate, não há alternativa que não trabalhar intensamente sobre nós, a de clamar, chamar, invocar a grande Luz por nosso resgate, e trabalhar sério sobre si sem perder um minuto, sem perder um instante. Esta é a única maneira de sair de onde todos estão neste momento…

“arrependimento” tem sido a chave para acordar, para nos mobilizarmos para um trabalho sério, real, verdadeiro, profundo. O arrependimento não é algo da boca para fora; se o arrependimento não vem de dentro, se o arrependimento não for profundo, brotado do nosso coração, de nossa alma, palavras de pouco servem.

A lei vê a profundidade de nossa mente, de nossa intenção; a lei examina também a intenção oculta. Se o arrependimento é sincero e verdadeiro e se estivermos efetivamente trabalhando sobre nós iremos subindo de grau em grau até alcançar o limbo, ou permaneceremos no limbo se por sorte ali estivermos; ali podemos trabalhar sobre nós e alcançar o direito de ajuda necessária para voltarmos aqui na idade de ouro e concluir esse trabalho em corpo físico.

O arrependimento tem que ser do coração, mas ninguém se arrepende verdadeiramente, profundamente, sem se dar previamente conta dos seus erros. Se não houver essa tomada de consciência sobre a vida atual ou sobre como a forma que se viveu até hoje, se alguém está muito feliz com sua vida atual, com seu jeito de viver, com seu nível de Ser. Das duas uma: ou realmente está tudo muito bem ou temos aí um cego de nascença; aí nem milagre restitui a visão e a percepção do verdadeiro estado em que se encontra essa pessoa; aí não há nada a fazer.

O dar-se conta e o arrependimento formam tão só o primeiro passo; o segundo passo é a ação imediata e concreta para reverter a situação, o quadro, a realidade presente. Sem arrependimento e sem trabalho concreto, nada feito; apresentar-se diante da lei com as mãos vazias e só com intenções de nada serve.

Então, meus amigos, a situação no momento de fato é muito grave. O Mestre Mória dizia, dias atrás, que em janeiro a situação vai ficar muito pior para aqueles que não negociaram com a lei divina durante este ano de 2007. Porque em 2008 as portas do tribunal da lei estarão fechadas; bem poucos serão recebidos pelo tribunal da lei…

O tempo de correr atrás de suas contas, fazer composição de seus karmas foi este ano 2007. No ano que vem, espiritualmente falando, iniciamos uma nova oitava, uma nova oitava que estará sob a coordenação do Logos Gabriel. Sabemos que Gabriel rege a infância, as concepções, os partos, os nascimentos… Então, espiritualmente, 2008 é 1, é um começo, é o primeiro ano, ou o nascimento mesmo de um novo período espiritual. Então, 2008 vai ser um ano favorável espiritualmente para aqueles que já se decidiram, para aqueles que correram atrás. Os que nada fizeram ou pouco fizeram, ou não negociaram, será um ano muito difícil porque é o ano 10 também, é o ano do giro da roda, das retribuições. Retribuição também é cobrança; receberemos aquilo que plantamos, receberemos aquilo que fizemos ou deixamos de fazer.

Quando nós falamos em caminhos, vias espirituais, é interessante ressaltar alguns aspectos. Grande parte das pessoas, e o meio gnóstico não é exceção, acredita que o caminho espiritual baseia-se apenas – ou fundamentalmente – no princípio de nos tornarmos pessoas melhores… O Mestre Samael, quando revelou Pistis Sophia, registrou nessa obra que não basta ser melhor ou ser uma pessoa melhor; precisamos mudar radicalmente; também não basta contentar-se com o discurso da evolução. As pessoas acreditam que a vida evolui as pessoas; isso é uma fantasia. Evolução é para os dogmas dos materialistas ou para os docentes do materialismo ateísta; não existe evolução na via espiritual; existe “revolução” na via espiritual. Revolução significa trabalho voluntário, consciente, numa determinada direção e sustentada pelo tempo que for necessário.

Sem isso é seguir o ritmo da natureza, feito de altos e baixos, de melhoras e pioras, de subidas e descidas. Isso é a Roda de Sansara; isso não interessa à Gnose. A escola gnóstica é uma escola revolucionária; o gnosticismo é para bem poucos; é para aqueles que de fato querem a auto-realização…

Quem não busca a auto-realização de certa maneira perde seu tempo; não queremos dizer com isso que não se pode obter a iluminação… Claro que pode – e aqui já falamos sobre isso. Não queremos também dizer, com isso, que alguém não possa alcançar o estado de Buddha; claro que pode, mas o que queremos ressaltar nesta noite é que a escola gnóstica é uma escola revolucionária; a Gnose é um ensinamento para aqueles que querem a Cristificação.

Evidente que antes de alcançar a Cristificação se passa pelo estado de Arhat [Arahant], de Buddha, de Adepto, de Mestre, mas só a cristificação nos torna Mestres Perfeitos.

O nascimento, bem como a encarnação do Cristo íntimo, se dá nas iniciações Venustas; o próprio Mestre Samael avisa, especialmente no Pistis Sophia, que raríssimos são aqueles que conseguem o direito de trilhar as iniciações Venustas ou de obter a iniciação de Tíferet – que é a mesma coisa…

As iniciações Venustas são as oito iniciações de luz que seguem após as oito iniciações de fogo. Mas bem poucos, confirmando o que diz o Mestre Samael, obtém o direito de realizar ou de seguir pela via de Tíferet. Somente os que seguem a via de Tíferet – que é a via reta para o absoluto – é que passam, que cumprem as etapas das iniciações Venustas, ao fim das quais se tem encarnado o Cristo íntimo dentro de si.

Não quer dizer que tendo nascido o Cristo íntimo o trabalho tenha terminado… Não, meus amigos: pelo contrário, e o Mestre Samael é bem claro no seu livro As três Montanhas quando diz: “Nós, os duas vezes nascidos, ainda possuíamos inúmeros agregados psicológicos contra os quais tínhamos que lutar”.

Aqueles que alcançam essas alturas do trabalho iniciático e abandonam o trabalho de morte do ego se tornam hanasmussens de quarto grau – este é o perigo…

Também em Pistis Sophia encontramos um alerta bastante claro do Mestre Samael que diz o seguinte: “Muitos iniciados que conquistaram ou realizaram em si as oito iniciações de fogo acabarão se tornando depois perversos demônios, porque não deram seqüência ao trabalho sobre si”.

É que, relativamente, alcançar as oito iniciações de fogo não é um trabalho muito difícil, porém o difícil é eliminar os defeitos psicológicos… Por isso é que essa chamada “aniquilação budista” é a prioridade dentro de uma autêntica escola gnóstica… Alcançar as oito iniciações de fogo é fácil, porém aqueles que não trabalharem sobre si, de forma séria, acabaram se transformando em perversos demônios; a pior coisa que pode existir, além de se possuir o ego, é dar corpos solares ao ego…

Alguém que percorre as iniciações maiores sem eliminar totalmente seu ego acaba se transformando num Ser de dupla polaridade, num hanasmussen de quarto grau, num hanasmussen que possui os poderes do Ser e também os poderes do ego; isso é um aborto cósmico, diz o Mestre.

Então, por isso numa autêntica escola gnóstica se ensina a morte dos defeitos… e por aí, meus amigos, já se pode criar um primeiro critério. Aquelas escolas que dão muita ênfase à alquimia sem se preocupar com a morte de si mesmo e sem viver a conduta reta não são autênticas escolas gnósticas…

Até pode haver boas intenções nessas escolas e seus líderes e instrutores até podem ser sinceros, porém estão equivocados – e se estão equivocados, arrastarão outros ao abismo. Igualmente, em Pistis Sophia o Mestre Samael faz advertência sobre essas doutrinas equivocadas. Diz o Mestre que as doutrinas equivocadas nos levam a um beco, a uma rua sem saída… Diz o Mestre, claramente, que é preciso renunciar a essas crendices, a essas crenças e abandonar inclusive essas doutrinas e essas escolas que não ensinam o caminho iniciático autêntico.

Isso tudo, meus amigos, serve apenas como uma lembrança porque todos, a esta altura, já sabem disso, só que, muitas vezes, vendo não vemos ou ouvindo não ouvimos; vale dizer que mesmo testemunhando com nossos olhos não damos a devida importância àquilo que vemos, e aí está o grave…

Nós mesmos, falando algo pessoal, para acordar para essa realidade da sutileza e dos perigos do caminho, passamos por situações delicadas; entramos em geladas, em frias, para aprender a conduta dos demônios, dos equivocados, dos sinceros equivocados até achar o ponto de luz. Por isso, hoje, somos muito enfáticos naquilo que falamos porque aprendemos, a duras penas, a separar o fogo da fumaça, a apartar a luz das trevas…

Nossa finalidade aqui é compartilhar com aqueles de boa vontade este pouco que aprendemos nesses anos de frente de batalha… Aproveita a experiência quem quer… Todos têm direito a descer ao abismo, a botar a mão no fogo, a fazer de si suas próprias cobaias, seus próprios experimentos, como nós fizemos um dia…

Mas como agora não temos muito tempo pela frente, estamos aqui só para mostrar exatamente quais são os pontos principais para aqueles que confiam em nós, e assim possam achar o caminho de volta à casa; é claro que terão que caminhar com suas próprias pernas, é claro que terão que fazer o trabalho sobre si, é claro que terão que encarar esse caminho com muita seriedade, disciplina, dedicação – ou fracassarão também, como muitos por aí…

Este caminho é muito delicado, até porque é difícil reconhecer o falso e o verdadeiro, uma vez que o falso sabe se disfarçar, o falso apresenta discursos muito convincentes.

Semana passada ainda recebi um DVD de uma pessoa que fez questão que eu assistisse; era uma gravação em vídeo de um desses canais que existem aí pelo Brasil através do qual muita gente está acreditando que o Mestre Samael está se manifestando através dele…

Bem, em cada esquina, neste momento, tem um falso Cristo pregando suas coisas; cada um é livre para pegar o trem, o avião ou o barco que achar mais adequado para seus propósitos… Mas certamente o Mestre Samael não se apresenta por meio de canais ou de médiuns. Quando o Mestre Samael quer falar com um dos estudantes ele se apresenta diretamente na Região Astral… Ou aqui mesmo, a qualquer hora… [ Evidente que, para vê-lo e falar com ele, é preciso ser clarividente positivo com razoável percentual de consciência desperta… ]

Agora, se o estudante está adormecido, é evidente que não vai perceber a presença do Mestre… É preciso estar desperto, ter bastante consciência desperta ou sentidos abertos para efetivamente captar, saber, reconhecer o falso, do verdadeiro; fora isso lamento dizer, lamento decepcionar a muitos, mas é uma aventura que vai custar o extravio da própria alma; lastimável, mas não se pode ir contra o livre arbítrio das pessoas em escolher e seguir pelo caminho do erro…

Aqui falamos muitas vezes sobre tulpas, sobre egrégoras, sobre falsos Mestres, mas talvez tudo isso tenha servido para um ou outro apenas; porque boa parte, inclusive desses que vejo aqui na lista de presença, ainda continua filiado a comunidades de tulpas e egrégoras aí pela internet; estão acendendo vela para Deus e o diabo; não sei o que o que vão conseguir com isso, mas certamente não é o resgate de sua alma.

Aqui mesmo mencionamos que essas tulpas e egrégoras já desceram aos infernos, mas o fato de o astral da Terra estar limpo de todas essas criações, isso não significa que as imagens e as criaturas engendradas no universo psicológico [pela mente] de cada estudante tenha se modificado, não!

O estudante, mesmo com o astral do planeta limpo, ele pode ser levado ao erro porque em sua mente existem as efígies, os reflexos dessas tulpas, egrégoras e falsos Mestres – e aí é que mora o perigo. Portanto meus amigos, todo cuidado é pouco; quando não temos ainda toda a luz necessária, o melhor a fazer, e talvez o único a fazer, para garantir uma oportunidade real e concreta de resgate, é cumprir com fidelidade aquilo que a Gnose ensina…

A Gnose ensina conduta reta, o caminho da santidade crescente; a Gnose ensina o caminho da castidade; a Gnose ensina, podemos colocar nessas palavras, a via do Bhakti Yoga, que é a via da meditação, da oração, dos mantras… ou por que o Mestre Samael haveria de ensinar dezenas ou centenas de mantras se não fosse para serem praticados?

Boa parte do estudantado gnóstico menospreza o poder dos mantras, da disciplina de práticas; a maioria dos estudantes, para começar, faz bem pouca prática, qualquer prática, e nessa pouca prática quanto de mantra existe?

Isso é para cada um refletir. Quanto de meditação fazemos? Quanto de chamados à Grande Luz ou ao Pai de todas as luzes fazemos diariamente? Qual é a profundidade de nosso arrependimento?

Tudo isso serve para uma auto-reflexão evidente; devemos nos analisar todos os dias, analisar nossa conduta, nossos pensamentos e nossos sentimentos; devemos melhorar a cada dia…

Porém esse não é o caminho: este é o começo do caminho, são os primeiros passos do caminho…

O caminho em si mesmo é feito pelos três fatores de revolução de consciência: Morrer em si mesmo, Trabalhar com as águas da vida, Fazer muita obra de caridade. Agora queremos repetir e enfatizar, mais uma vez: muitos, até hoje, não sabem como fazer caridade…

Vem-me à memória que dia desses um estudante teve um ataque de fúria, e aí ficou bastante lastimado com esta situação e foi perguntar o que poderia fazer para compensar os estragos deste acesso de fúria momentânea. Para resumir o caso, ele negociou a realização de 365 cadeias de cura em favor da humanidade, e assim teve este delito apagado instantaneamente dos seus registros.

Muitos estudantes acreditam que sendo mesquinhos nas negociações com a lei divina vão obter redução ou perdão das suas falhas ou delitos… Impossível. Fazer caridade é isso! Aquele que realiza cadeias de morte, cadeias de cura, aquele que diariamente, duas ou três vezes por dia, realiza a cadeia com a Grande Mãe, este está fazendo boa obra, está praticando a caridade, está ajudando a diminuir o sofrimento da humanidade, e consequentemente, está ganhando seus méritos, seus dharmas, podendo pagar o seu karma, suas dívidas…

Então, não é preciso que nos compliquemos tanto com nossos pensamentos, com nossa mente, com as travas da mente sobre o que é e como praticar caridade. Tudo que temos que fazer, é fazer algo concreto… Falta ação no estudantado gnóstico; há muita abstração e pouca ação concreta…

Neste preciso momento, enquanto estamos aqui no Paltalk, na comunidade de São Paulo está sendo realizada uma “sat sangha”, uma prática especial de mantras… Os que moram em São Paulo podem freqüentar essas reuniões em nossa sede local.

O que são essas sat sanghas sagradas ou essas reuniões? Em São Paulo estão sendo feitas como uma preparação para a abertura e instalação da segunda câmara. Portanto, se realizam essas reuniões em nível de primeira câmara para vocalizar mantras e fazer algumas runas. Isso também é um trabalho de caridade; isso é Bhakti Yoga, isso é prática concreta, isso não é abstração…

Outros tantos espalhados pelo Brasil e pelo mundo anunciam que são membros de segunda câmara; mas talvez mal conseguem cumprir com sua participação semanal nas atividades relativas a cada segunda câmara estabelecida no mundo; vão, podem até ir, mas vão de má vontade; o corpo vai, mas a mente está em outro lugar…

Isso não dá méritos, meus amigos; pelo contrário isso dá demérito, aumenta o karma. Ensinar Gnose dá muito mérito, mas ensinar uma doutrina adulterada gera karma; melhor não ensinar nada, apenas distribua os livros e a doutrina gratuitamente; faça chegar as pessoas um endereço confiável ou simplesmente encaminhem essa pessoa para um aula básica de Gnose; assim estarão fazendo mais do que se ensinarem uma falsa doutrina ou uma doutrina deturpada por nossas percepções equivocadas.

Com tudo isso só queremos exemplificar como a sutileza nos arrebata a luz e como podemos ser enganados pelas aparências, pelos falsos brilhos; difícil é achar o caminho, mas é muito fácil perder-se e extraviar-se. Portanto, estejamos atentos, dia e noite; estejamos atentos a cada pensamento nosso, a cada sentimento nosso… Pratiquemos intensamente, dia e noite, sem parar… Saibamos aproveitar nosso tempo; gravemos uma seleção de mantras e em vez de ouvir pagode, samba ou qualquer outra música profana no som de nosso carro ou casa, aprendamos a ouvir – e também a cantar junto – os mantras sagrados… Isso nos ajuda a ganhar e a fortalecer nossa mística.

… Falávamos aqui que todo mundo está no limite da intolerância… Qualquer coisa é pretexto para atos de violência… Isso é real e pode afetar a todos, gnósticos e não gnósticos, como foi o caso desse estudante que mencionamos há pouco, e que foi levado a um ataque de fúria, não importa a razão; menos mal para ele, que tinha boa formação e informação, e soube correr atrás do prejuízo rapidamente…

E nós? Como agimos quando cometemos um delito ou um erro ou quando falhamos em nossa conduta, como agimos? Fazemos de conta que não ocorreu, fingimos que com o tempo tudo passa, evitamos encarar de frente a nós mesmos e nossos próprios delitos, nossa própria conduta?

Fugir não é a alternativa mais sábia; temos que enfrentar, encarar, negociar rapidamente. E é assim, negando a nós mesmo, de momento a momento, que se vai morrendo. É deixando de alimentar o “Obstinado ego” vamos morrendo ou matando-o, enfraquecendo-o; e, com a ajuda de nossa Divina Mãe Kundalini, que devemos invocar sempre e quando tivermos compreendido um defeito e caído em arrependimento. Esse é o melhor momento para se invocar nossa Divina Stella Maris e pedir a eliminação desse defeito.

Claro que Ela nem sempre eliminará o defeito todo de uma vez, mas seguramente, se o arrependimento é sincero, se o pedido for sincero, parte do defeito é eliminado, na hora. Outras partes são eliminadas por bondade e compaixão de nossa própria Mãe Divina. E assim, aos poucos, com paciência, com persistência, vamos construindo nossa salvação. Mas se nada fizermos ou não fizermos o suficiente as leis da vida darão a nós aquilo que permitimos que o sistema gerasse…

Neste momento, repito mais uma vez: em agosto de 2007 os camburões do Senhor Hades correram o mundo e recolheram praticamente todas as almas do planeta. Também os bodhisattwas foram recolhidos e já destinados às respectivas esferas inferiores…

Portanto, neste momento a situação é bastante delicada. Todos estão no abismo; suas almas, suas consciências estão no abismo; para sair dali só com muito trabalho. Se não houver essa tomada de consciência, esse arrependimento, e um trabalho concreto sobre si, lá ficaremos todos…

Até aqui nossas palavras iniciais desta noite; ficamos agora à disposição para os complementos necessários…

Perguntas 

P: Não compreendo quando o Mestre Samael diz: “dos grandes malvados surgirão os grandes virtuosos e que o inferno é a matriz dos céus”… Parece impossível tal afirmação! 
R: Só parece, minha amiga, porque a virtude da pureza e da castidade de uma Maria Madalena arrependida é imensamente superior a daquela castidade de uma donzela que jamais experimentou o sofrimento do pecado… Este é o símbolo de Maria Madalena… Belzebu era líder entre os demônios… Em se arrependendo obteve da Loja Branca o perdão de muitas dividas, ganhou corpo humano, e está se encaminhando novamente à luz; não posso afirmar porque não me consta isso, mas é uma convicção pessoal que Belzebu voltará na idade de ouro e poderá se auto-realizar na idade de ouro. A sabedoria de alguém que esteve lá em baixo por milhões de anos, sem dúvida nenhuma é muito mais profunda e elevada do que a daquele anjo que jamais experimentou nenhuma classe de sofrimento – é simples assim.

P: Todos entraram no limbo? Os bons e os malvados? 
R: Acho que o amigo não ouviu direito: falei aqui que o Senhor Hades em agosto recolheu todo mundo para o abismo. O limbo não é o abismo; o limbo é a ante-sala do abismo. Então temos que ser mais exatos nesta expressão. Os julgamentos [no inferno] ocorrem no segundo círculo e a partir daí as almas são destinadas aos correspondentes círculos infernais. As pessoas malvadas, perversas, após sentenciadas nesses julgamentos, são desmembradas: partes suas vão para diferentes círculos para entrarem nos processos involutivos. O que dissemos agora há pouco – e acredito que você não estava presente na sala ainda – é que essas partes nossas, mesmo estando espalhadas em diferentes círculos do inferno, se houver arrependimento, elas são reintegradas e levadas ao limbo, de onde podemos sair caminhando com nossas próprias pernas. Algum estudante, talvez, que desconheça a doutrina gnóstica, ou lhe falta compreensão, neste momento poderá pensar, ou julgar, que quem desceu ao abismo já está condenado pela eternidade, que não tem mais salvação nem esperança. Queremos lembrar novamente aquilo que o Mestre Samael dizia: no inferno existem Mestres da Loja Branca trabalhando para resgatar dali almas arrependidas… Portanto, é disso que estamos falando; não estamos colocando aqui nada de nossa invenção; estamos falando daquilo que o Mestre Samael nos ensinou… Então, para sair do abismo é preciso haver arrependimento verdadeiro, e lá, em havendo arrependimento, existe um Mestre da Loja Branca que nos resgata; reintegram nossas partes… É preciso tirar de nossa mente essa idéia da igreja católica de que o inferno é um lugar de condenação eterna; isso é um absurdo, uma invenção, uma mentira que espalharam pelo mundo para apavorar os ignorantes. Esta é a realidade… Vamos acordar para a realidade: o inferno é matriz de purificação… Desce lá os que precisam ser purificados… Neste momento a humanidade inteira precisa ser purificada… Se entre todos aqueles que lá estão houver algum ou alguns arrependidos, pois de lá serão resgatados…

P: O caminho da Cristificação é o caminho do bodhisattva? 
R: Sim, o caminho da Cristificação é o caminho dos bodhisattvas de compaixão.

P: Para aquele que não obteve boas negociações com a lei terá dificuldade ou impossibilidade de continuar realizando suas práticas? 
R: Meu amigo, eu não vejo relação entre essas duas realidades que você apresenta aqui. Realizar suas práticas depende exclusivamente de sua vontade… Não envolvamos o tribunal do Senhor Anúbis na nossa falta de vontade; não envolvamos o tribunal da lei em nossas debilidades e fraquezas. Isso se deve simplesmente à ausência volitiva ou da vontade de cada um. E voltamos a repetir: há muita abstração no meio gnóstico e pouca ação; vamos inverter essas polaridades, meus amigos. Esta é a proposta que deixamos nesta noite: Pensar menos e fazer mais; é simples assim, acredite; comecem a fazer em vez de pensar…

P: Trabalhar de dia com a consciência, mantras, respirar, caminhar, parar, ver e ouvir a todo o momento e na noite também… Mas quando durmo, como poderia estar trabalhando a madrugada toda? 
R: Meu amigo, pessoalmente treinei durante algum tempo [anos] para deixar de dormir feito pedra no fundo do rio… [Deixando de dormir feito pedra no fundo do rio] poderia me acordar durante a noite ou manter um estado de consciência de vigília, mesmo meio sonâmbulo, e assim consegui estender as práticas pela noite a fora. Esta é uma maneira: é preciso fazer algo concreto… O caminho se faz caminhando; não conheço alternativa… No começo pode ser que as práticas ocorram de forma meio capenga, mas a Grande Luz não vê o formalismo de uma prática, mas a sinceridade e o esforço que cada um de nós faz para sair da escravidão em que nos metemos… Então, não subestime o próprio trabalho…

P: O Mestre ensina que a luz se gesta nas trevas… É possível então que o despertar ocorra sem que a gente perceba? 
R: Sim, meu amigo! Sua pergunta é bem oportuna; diria mais: muitos estudantes operam, trabalham, agem em plena consciência nos mundos superiores e não trazem a seu cérebro físico a mínima lembrança do seu trabalho nos mundos superiores. Por que isso acontece? Para a segurança do próprio estudante; melhor que seja assim do que, de repente, dar-se conta das coisas que faz, e sair por aí falando o que não deve… orgulhando-se do que não lhe pertence e exibindo-se com as roupas que não são dele. Percebe a sensibilidade do quadro, meu amigo? É por isso! É para sua segurança ou a segurança daqueles que se encontram nessa situação…

Exortação geral: 

Como exortação geral vale dizer: Se nesse 2007 fizemos pouco ou demorou a cair a ficha, ou a fazer consciência de muitas coisas, aqueles que comparecerem ao tribunal da lei poderão agora, em dezembro, renovar seus compromissos, reafirmar suas decisões, comprometer-se, e evidente, aproveitar cada dia como se fosse o último, trabalhando como nunca trabalhou. Porque esta é uma maneira de obter a benevolência, a boa vontade, a simpatia, o apoio, não só dos Mestres da Loja Branca, mas também da lei divina que justamente gerencia as decisões de todos…

Há uma perfeita integração entre o trabalho dos Mestres da Loja Branca e a lei divina. Se um dos Mestres da Loja Branca avaliza um estudante, a lei divina libera porque sabe que alguém vai pagar… Se aprendermos a fazer nossos apelos e corresponder às nossas promessas, efetivamente saibam que serão ajudados. Mas também é preciso dar-nos conta de nossos delitos ou da conduta não-reta…

Não sabemos exatamente quantos dias ainda temos nesta existência… Mas não são muitos… Estamos na reta final da humanidade… Aqui na superfície já vivemos praticamente nos abismos; quer dizer, nossa consciência está nos abismos. Portanto, a questão agora é sair do abismo; para isso temos que viver intensamente, retamente, cada um desses nossos últimos dias aqui na superfície do planeta, aproveitando o estado de consciência de vigília para fazer algo concreto… Resumidamente, é o que podemos dizer…

Agradecemos pela presença de todos…
Boa noite a todos, Paz Inverencial.

Karl Bunn*

Este texto também está disponíveis em áudio, clique aqui para ouvir.


O texto acima é cópia integral, (modificada a pontuação e feitas algumas alterações para dar o formato de texto), de uma conferência ditada por Karl Bunn, presidente da Igreja Gnóstica do Brasil – www.gnose.org.br – realizada ao vivo dia 11.12.2007, por intermédio do programa Paltalk, via Internet. Equipe: Transcrição de texto: Mariana Cunha. Revisado pelo próprio autor. 

25 de novembro de 2015

ABRAGNOSE - Academia Brasileira de Gnose

Lançamento 1ª versão: 4 de fevereiro de 1997. Atualizações contínuas e permanentes. Copyright 2005-2014© Todos os direitos reservados. A responsabilidade deste site é da Igreja Gnóstica do Brasil - IGB